Toda sexta uma nova artista > Larissa Luz

Garota ninguém nos disse que seria fácil – Trecho da música Descolonizada

De vez em quando a gente se perde nas música internacionais e esquece um pouco de ouvir o eco do nosso próprio país, que é composto de muitos países, e o primeiro deles: a Bahia!

Li muito essa semana sobre artistas baianos e seus movimentos e formas de expressão, um lugar pra onde nunca fui e pra onde nunca desejei tanto ir depois de passar a semana imersa na arte que jorra de lá.

Falando nisso, apresento-lhes a nossa artista dessa sexta: ela foi recomendada recentemente entre amigas, ela é adorada pela minha roomie, ela é a Larissa Luz!

E eu descobri escrevendo esse texto pra vocês que o início de sua carreira musical foi no axé, ela é ex-integrante do Araketu (aquele que deixa você pulando que nem pipoca, sim, eu fui uma criança que dançou muito axé nos anos 90).

Hoje em dia, Larissa tem um estilo muito único, propondo caminhos alternativos e diversidade para a música brasileira através de letras carregadas de sentimento e politizadas.

Defendeu o território

Em 2016, o álbum “Território Conquistado” foi indicado ao Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum Pop Contemporâneo (Te mete!).

Se você também é terra de mais ninguém vai gostar de ouvir “Descolonizada”:

E como eu gosto pouco de um videoclipe, sugiro que assistam o “Meu Sexo”.

Nele Larissa sente o “quadril querendo balançar sem restrição”, critica a forma como nosso corpo é sexualizado e dança livremente (e de um modo hipnotizante) no palco.

Já vou colocar o link dessa música empoderadora que eu chamo de hino, ó:

Trovoa

O disco mais recente de Larissa foi lançado no ano passado, em 2019. Em entrevista para o Natura Musical, comenta que o álbum “Trovão” nasceu da necessidade de trazer para o dia-a-dia a relação com a ancestralidade, e ritos e práticas das religiões de matriz africana (resume como uma releitura tecnológica dos ritmos tribais).

A faixa “Gira” que faz parte desse trabalho, foi composta em parceira com as cantoras Bia Ferreira e Doralyce. A música ganhou um videoclipe que capta a essência do álbum e nos leva para essa viagem ancestral e atual de exaltação da magia africana.

“Dançar vai abrir o portal”

Eu sei que eu já recomendei música demais, mas eu acho que essa próxima representa muito a Larissa e muito do que ela quer dizer com esse álbum.

Se tiver que escolher entre “Gira” e essa, eu escolheria “Aceita”, que acho que é a preferida da minha roomie também, dá direto na caixinha dela essa.

Dá o > na sua:

Bônus

Além de cantora e compositora, ela também é atriz, interpretou Elza Soares ao lado de outras seis atrizes no espetáculo Elza em 2018.

Em entrevista para o Hypeness, Larissa diz estar muito realizada emprestando o corpo, a voz e a arte para contar a história de uma mulher que admira tanto e tratar de temas tão relevantes como a luta feminista e antirracista.

Aprecie todo o talento dessa artista nessa performance ao vivo da música “Bonecas pretas“:

Foto da capa: Reprodução/Youtube

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s